Avançar para o conteúdo principal

Os enormes.

     Bom dia meus amigos,

Tenho que revelar-vos um segredo bem guardado...
Os meus amigos são ENORMES.

Sério que sim! Ora isto pode parecer um conceito estranho para os comuns mortais, mas é a mais pura verdade.

Aos fins de semana os meus enormes e estratosféricos amigos descem à terra e assumem uma aparência (na medida do possível) terrena, passando algumas horas de salutar convívio no meio dos terráqueos, sem que estes, coitados, saibam que estão na presenta de seres tão colossais.

Não pensem no entanto que estamos cá à muito tempo, estas descidas à terra são relativamente recentes: primeiro porque só descobrimos este pequeno paraíso inter-galáctico à pouco tempo e depois porque (e isto pode parecer estranho de acordo com a vossa escala, mas) aterrar em algo tão pequeno como a terra não é nada fácil. Podem parecer naturais, mas aquelas crateras lunares foram algumas das nossas tentativas falhadas. E pouca gente sabe disto mas a terra tinha 3 luas... duas delas foram parar "acidentalmente" à orbita de Jupiter.

No inicio não foi nada fácil, erros clássicos atrás de erros, antes de conseguir passar despercebidos, como fazemos hoje em dia, tivemos várias identificações, algo que vocês terrenos chamam de... OVNI's. Entre vários episódios públicos garantidamente o mais notório foi quando, pela primeira vez, o enorme Zé fez a sua famosa aterragem em Roswell - New Mexico.

À medida que vamos descendo, para poupar tempo e simplificar a aterragem, dá-mos inicio à nossa transformação de forma etérea para uma forma mais humana, com massa, ossos, carne, essas coisas. Esta tarefa para alguns dos enormes ainda não é fácil, o enorme zé não se transformou de todo na sua primeira aterragem e acidentalmente pôs um pé na cidade arrasando-a por completo.

A vida na terra é calma, e felizmente hoje em dia, a técnica de transformação e adaptação, dos grandes é tal que inclusive, imaginem vocês, permite que alguns terra-planetários nos tratem por iguais.

Este tipo de recetividade por parte dos terráqueos é atraente para os enormes, que no inicio apenas fazia com que alugasse-mos veículos terrestres para nos deslocar como os nativos, mas hoje, como as descidas são cada vez mais comuns e numerosas, alguns de nós até já compraram viaturas terrestres chamadas de... automóveis e aquelas coisas de duas rodas... euh... bici... não,  acho que se chamam... motas! sim é isso!

Alguns dos enormes até já ponderam não subir todas as noites para "casa" e ficar por cá, em baixo com ligações meio estranhas entre enormianos e terrenas...

Enfim... whatever makes them happy.



Comentários

  1. WTF!?
    És mesmo um cabeça na lua! :P

    Hasta! ;)

    ResponderEliminar
  2. Paulo, fico tranquilo por não teres revelado todas as nossas identidades, o Zé é que não vai achar piada andares a espalhar tão GRANDIOSO sgredo!! Anyway, este texto está COLOSSAL!! Vemo-nos no OLIMPO, GRANDE abraço!!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Mau perder/mau ganhar

Meus amigos!

Esta semana fiquei chocado com a forma como as pessoas andam super agressivas e competitivas, hoje em dia ninguém aceita perder a nada, seja no trabalho, na vida pessoal, até no transito!?!? Uma ultrapassagem mais brusca e já temos o buzinão ou pior a tentativa logo a seguir de ser ultrapassado enfim... assustador.

Mas o que me levou mesmo a pensar nisto foi o facto de ver tantos benfiquistas com mau ganhar, ou ainda pior, ver tantos portistas com mau perder, deixem lá isso, quem marca mais golos ganha jogos, quem ganha jogos ganha o campeonato, não jogamos bem, não ganhamos.

É óbvio que em publico nunca irei admitir que a possível vitória do campeonato pelo Benfica foi merecida... isso era too much, (ainda por cima, porque até será merecida, caso ganhem claro), mas pelo menos temos que ser capazes de ver quando não fomos melhores e convenhamos que não fomos mesmo.

Acho que o mundo está a ficar demasiado competitivo e ganhar justifica todas as acções que se tome a seguir,…

Pablo el mexicano

Bom dia meus amigos,
Já não vos escrevia há imenso tempo e hoje apeteceu-me. Esta cronica vai parecer um relato... mas enfim foi para o que me deu para escrever.
Como sabem vim trabalhar uns tempos para o México e, à semelhança de outras viagens, esta têm me feito aprender imenso, rir imenso e... enfim... ter muitas saudades do meu cantinho à beira mar plantado.
Mas não é de coisas tristes que vos venho falar, o Fado deixo-o em Portugal que está muito bem! Quero sim deixar-vos algumas dicas de quem ainda tem imenso a aprender sobre "DF" (nome cool para chamar à cidade do México), mas que nestes dias já aprendeu umas coisitas!
A cidade é rica em extremos, de tal forma que para um europeu pode parecer muito estranho, por exemplo temos pessoas cuja função é só arrumar carros... e não.. não é tipo os nossos que pedem moedinha... quer dizer, até pedem... mas aqui é mais chique e chamam-lhe de "propina". Bem, pensando bem, não é um bom exemplo, vou antes falar-vos do se…